Alcoa e Rio Tinto desenvolvem primeiro processo de fundição de alumínio sem carbono

A Alcoa Corp. e a Rio Tinto anunciaram um processo revolucionário para produção de alumínio que produz oxigênio e elimina todas as emissões diretas de gases de efeito estufa do processo tradicional de fundição. Executivos da Alcoa, da Rio Tinto e da Apple se uniram ao primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, e ao Premier do Quebec Philippe Couillard para o anúncio que, de acordo com as empresas, é a inovação mais significativa na indústria de alumínio em mais de um século.

Para avançar no desenvolvimento e comercialização em larga escala do novo processo, a Alcoa e a Rio Tinto estão formando a Elysis, uma joint venture para desenvolver o novo processo com um pacote tecnológico planejado para venda a partir de 2024. Sediada em Montreal e com um centro de pesquisa na região de Saguenay – Lac-Saint-Jean, em Quebec, a Elysis irá desenvolver e licenciar a tecnologia para que possa ser usada para modernizar as fundições existentes e construir novas instalações. Vincent Christ, que tem mais de 30 anos de experiência na Rio Tinto Aluminum, foi nomeado CEO da Elysis.

De acordo com as empresas, quando totalmente desenvolvido e implementado, o processo eliminará as emissões diretas de gases de efeito estufa da fundição e fortalecerá a indústria de alumínio e manufatura do Canadá e Estados Unidos. A nova joint venture também venderá materiais anódicos e catódicos, que durarão mais de 30 vezes mais que os componentes tradicionais.

 Canadá e Quebec estão investindo US $ 47 milhões na Elysis. O governo da província de Quebec terá uma participação acionária de 3,5% na joint venture e o restnte da participação será dividida igualmente entre a Alcoa e a Rio Tinto. A Apple investirá US $ 10 milhões. A empresa ajudou a facilitar a colaboração entre a Alcoa e a Rio Tinto no processo de fundição sem carbono, e Apple concordou em fornecer suporte técnico aos parceiros da JV. A Alcoa e a Rio Tinto investirão US $ 43 milhões em dinheiro nos próximos três anos e contribuirão também com propriedade intelectual e patentes específicas. “Essa descoberta tem sido há muito buscada na indústria de alumínio, e esse anúncio é o resultado do trabalho de muitos funcionários dedicados da Alcoa”, disse o presidente e diretor executivo da Alcoa, Roy Harvey. “Hoje, nossa história de inovação continua à medida que elevamos a vantagem sustentável do alumínio a um novo nível com o potencial de melhorar a pegada de carbono de uma gama de produtos: de carros a produtos eletrônicos de consumo”. A tecnologia protegida por patente, desenvolvida pela Alcoa, está produzindo metal no Alcoa Technical Center, perto de Pittsburgh, nos Estados Unidos, onde o processo opera em diferentes escalas desde 2009. A joint venture pretende investir até US $ 40 bilhões. (US $ 31,3 milhões) nos Estados Unidos, o que incluiria financiamento para apoiar a cadeia de fornecimento dos materiais anódicos e catódicos proprietários.

2
0