Cal ganha protagonismo no combate ao Covid-19

Com o avanço do novo coronavírus (Covid-19), uma das grandes preocupações da população e das empresas em geral está relacionada à questão da higienização e do abastecimento de produtos de primeira necessidade.

Alguns dos componentes que fazem toda a diferença nesse sentido e que, portanto, precisam de uma indústria forte e em funcionamento, são a cal e o calcário, e o setor tem lutado para se manter atuante neste momento.

Em entrevista ao Diário do Comércio (MG),  o presidente do Sindicato da Indústria de Cal e Gesso no Estado de Minas Gerais (Sindicalge-MG), Rodrigo Simões, diz que esses itens têm uma série de funções nos mais diferentes segmentos da sociedade. Conforme ele destaca, as atribuições vão desde a eliminação de vírus e bactérias em efluentes líquidos nas estações de tratamento até a sanitização em criatórios de animais.

Além disso, a cal é fundamental na produção de celulose e papel, o que intervém diretamente na produção das indústrias de máscaras, papel higiênico, lenços descartáveis, entre outros. “A cal e o calcário também são essenciais na indústria de alimentos, desde a preparação do solo para plantio, como corretivos do solo, até o fim da produção”, ressalta Rodrigo Simões.

Outro ponto relacionado ao uso da cal tem a ver com a dependência que a siderurgia, a mineração e a metalurgia têm do produto. Sem a cal, conforme ressalta o Sindicalge-MG, não há produção de ouro, aço, cobre e alumínio, importantes para a balança comercial do País.

Fonte: Diário do Comércio

0
0