CBA consolida Programa de Preservação, Recuperação e Conservação de Nascentes

Iniciativa realizada pelo segundo ano consecutivo mobiliza proprietários de áreas rurais a protegerem matas ciliares em Niquelândia (GO)

Proprietário há 12 anos da Fazenda Taquari, localizada a 40 quilômetros de Niquelândia (GO), Amarildo Barbosa da Silva constantemente enfrenta desafios para manter preservado a nascente do córrego que leva o mesmo nome de sua propriedade. É comum o gado, principal fonte de renda, aproximar-se da nascente e danificar a cerca próxima à mata ciliar, mas Amarildo sempre buscou alternativas e manteve-se atento às oportunidades de apoio aos produtores rurais.

Em dezembro deste ano, Amarildo foi contemplado pelo Programa de Preservação, Recuperação e Conservação de Nascentes e teve 300 metros quadrados de área cercada junto ao Córrego Taquari. A iniciativa é do Legado Verdes do Cerrado, maior área protegida privada do bioma no país, de propriedade da CBA (Companhia Brasileira de Alumínio), em parceria com o grupo Faeg Jovem, de Niquelândia, Sindicato Rural de Niquelândia e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural em Goiás (Senar Goiás).

Realizado pelo segundo ano consecutivo, o programa proporciona fôlego a mais para os proprietários de áreas rurais conservarem as matas e nascentes da região, contribuindo também para sensibilizar mais pessoas a colaborarem em ações em prol do meio ambiente. “Tento manter o entorno do córrego conservado, mas tenho que lidar com períodos de estiagem e queimadas. Por isso, a ajuda deste programa fez a diferença e sou muito grato. Inclusive, comento com os vizinhos sobre a importância de buscarmos apoios assim, mas também somarmos forças para evitarmos a degradação”, disse Amarildo Silva.

Para cercar o Córrego Taquari, o Legado forneceu os materiais para cercar a área e prestou consultoria para a Faeg Jovem realizar os trabalhos de recuperação. O grupo também foi responsável em fazer o contato com o proprietário e solicitar permissão para entrar na propriedade onde está localizada a nascente.

Segundo o coordenador da Faeg Jovem de Niquelândia, Maiccom Renan, o trabalho realizado com o Legado Verdes do Cerrado obtém cada vez mais visibilidade pública, o que pode atrair mais parceiros comprometidos com a causa ambiental. “O programa tem o reconhecimento da população e servido como incentivo para outros produtores protegerem suas nascentes. A parceria com o Legado tem sido muito positiva e acredito que é possível agregar outros colaboradores para beneficiar ainda mais nascentes”, afirmou.

Além da nascente do Córrego Taquari, outras duas nascentes foram recuperadas em Niquelândia em 2018: nascente Sales e nascente Buriti. Além de cercar as áreas, as ações do programa contemplam ainda plantio de mudas nativas. “Neste ano doamos aproximadamente 1.200 mudas cultivadas no Viveiro Engenho e contamos com 80 voluntários. O programa está consolidado em Niquelândia e deve crescer ainda mais. Já estamos preparando o cronograma de 2019 para continuarmos impulsionando o desenvolvimento sustentável de Niquelândia”, ressaltou o responsável pelo planejamento das atividades do Legado Verdes do Cerrado, Deyver Santos Silva.

Saiba mais – Para participar do Programa de Preservação, Recuperação e Conservação de Nascentes, o produtor precisa ter feito um curso pelo Senar ou ter sido auxiliado por assistência técnica. O produtor é cadastrado no Programa e é orientado a acompanhar a medição, fazer as covas para a construção da cerca, estar presente no dia de mutirão, além de se comprometer para que o gado respeite o limite e atue efetivamente no controle de pragas e da roçagem.

Nascentes recuperadas em 2018

Nascentes cercadas: 3

Estacas doadas para cercar as nascentes: 200

Arame doado para cercar as nascentes: 3 mil metros

Mudas plantadas: 1.200 – Espécies nativas produzidas no Viveiro Engenho

Voluntários que participaram das ações: 80


Sobre o Legado Verdes do Cerrado

O Legado Verdes do Cerrado, com 32 mil hectares, é uma área da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), empresa da Votorantim S.A, administrada por sua gestora de ativos ambientais, Reservas Votorantim. Da área total, 27 mil hectares são protegidos pela empresa desde sua aquisição há mais de 40 anos e possui cerrado em excelente estado de conservação. Próxima ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, é composta por dois núcleos. No núcleo Engenho, nascem três rios (Peixe, São Bento e Traíras, de onde é captada toda a água de abastecimento público de Niquelândia). Nele está a sede do Legado Verdes do Cerrado e em 23 mil hectares são realizadas as atividades da economia verde, enquanto 5 mil hectares são áreas dedicadas à pecuária, produção de soja e silvicultura. O núcleo Santo Antônio Serra Negra, com 5 mil hectares, está localizado nas proximidades do Lago da Serra da Mesa. O projeto da nova economia inclui o desenvolvimento de atividades como viveiro de mudas de frutos do cerrado e de reflorestamento, educação ambiental, ecoturismo e apicultura.

Sobre a CBA

Fundada em 1955, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) é a mais tradicional e a primeira indústria nacional fabricante de alumínio do País. A Companhia, pertencente ao portfólio de negócios da Votorantim S.A, é também a única da América Latina a atuar com operação totalmente integrada, realizando desde o processamento de bauxita até a produção de alumínio primário (lingotes, tarugos, vergalhões e placas) e de transformados (chapas, bobinas, folhas e perfis). Com sede localizada na cidade de Alumínio (SP), onde ocupa 700 mil m² de área construída, a CBA também possui três plantas de mineração de bauxita, instaladas nos municípios de Miraí, Itamarati de Minas e Poços de Caldas, em Minas Gerais, além de uma empresa de reciclagem de alumínio, na cidade de Araçariguama (SP). A atuação da CBA está voltada, principalmente, para prover soluções e serviços para a indústria brasileira com foco nos setores de embalagens e transportes; bem como para os mercados de bens de consumo, energia e construção civil através de parceiros estratégicos. Com a reestruturação organizacional realizada em julho de 2016, a gestão das operações do Níquel passou a ser responsabilidade da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA).

0
0