Covid-19 pode facilitar permissões de novas minas

A carnificina econômica que a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) deixará em seu rastro pode renovar um impulso dos governos da América Latina de permitir projetos de mineração que antes haviam sido interrompidos pela resistência da comunidade.

Com o setor formal de negócios em toda a região sofrendo graves impactos pela incapacidade de operar, os níveis de desemprego estão subindo enquanto os impostos do governo estão caindo, numa época em que os governos enfrentam demandas crescentes de gastos.

No Peru, o Ministério de Energia e Minas não descartou a possibilidade de reativar o projeto de ouro Conga em Cajamarca ou o projeto de cobre Tia Maria em Arequipa.

“Tudo é possível com a compreensão do ambiente em que o projeto está localizado e que é um trabalho que deve ser feito, que deve ser retomado. Tem que acontecer, em algum momento, tem que acontecer. O país exige mais recursos, exigirá mão de obra, exigirá emprego, exigirá que essas receitas do tesouro sejam capazes de servir a população”, disse a vice-ministra de Minas, Susana Vilca, à mídia local.

Cada projeto enfrentou oposição vociferante das comunidades locais, que paralisou o desenvolvimento.

O governo aprovou o projeto de cobre Tia Maria de US $ 1,4 bilhão em julho de 2019, mas uma década de oposição viu o governo do presidente Martín Vizcarra suspender seu desenvolvimento em janeiro.

O projeto Conga de Yanacocha, de US$ 4,8 bilhões, da joint venture entre Newmont e Buenaventura, está paralisado desde novembro de 2011 devido a conflitos sociais.

Na Colômbia, o governo está se esforçando para obter a aceitação da comunidade no projeto Quebradona da AngloGold Ashanti (AGA) em Antioquia, que está em processo de permissão ambiental. O governo também está interessado em ver o desenvolvimento da Gramalote em Antioquia, uma joint venture entre a B2Gold e a AGA, e o projeto Soto Norte da Minesa em Santander.

A Argentina também possui grandes projetos de mineração cujo desenvolvimento foi interrompido pela oposição da comunidade, particularmente em pontos turísticos como Mendoza e Chubut – como Suyai e Navidad. Como o turismo é uma das baixas de curto prazo da pandemia de Covid-19, pode haver pressão econômica sobre os governos provinciais para derrubar a legislação que proíbe efetivamente a mineração metálica. As informações são do Mining Journal.

Fonte – Notícias de Mineração Brasil/Mining Journal

0
0