Doação de mudas estimula a consciência ambiental em Paracatu

Kinross já distribuiu mais de seis mil mudas de árvores nativas, frutíferas e ornamentais nos bairros da cidade em 2018

Reformulado em 2017, o Programa Doação de Mudas Itinerante da Kinross Brasil Mineração é hoje uma das principais iniciativas ambientais desenvolvidas pela empresa em Paracatu, município localizado no noroeste de Minas Gerais. A cada mês, um caminhão com cerca de 600 unidades vai até a praça de um bairro da cidade para a distribuição. São doadas espécies frutíferas, ornamentais e nativas do cerrado.

As mudas do programa são produzidas no Viveiro de Mudas da Kinross, que atualmente fornece cerca de 30 mil unidades por ano. Parte delas vai para doação, que compreende o programa Doação de Mudas Itinerante, direcionadas tanto para empregados da companhia como para escolas e empresas. Até então, já foram distribuídas mais de seis mil mudas em 2018.

Entre as mudas mais pedidas estão pés de maracujá, goiaba, amora e manga. Entre as ornamentais e nativas, o hibisco, a rosa, e o ipê roxo e rosa fazem sucesso. O dia da doação é sempre divulgado na imprensa local, nas redes sociais e para líderes comunitários. Cada morador pode retirar até quatro unidades, de espécies iguais ou diferentes.

Para Matheus Martins, empregado que faz parte da equipe responsável pelo Viveiro, o programa permite um momento de troca entre a equipe e os moradores de Paracatu. “Nós não vamos só para entregar as mudas. Muitas crianças vêm buscar as plantas e nós ensinamos sobre a importância de plantar. O mais importante é a preservação do meio ambiente”. Junto com as plantas, os empregados responsáveis pelo viveiro levam um folhetinho explicando toda a metodologia do plantio e dos cuidados necessários.

O Viveiro possui também em sua equipe, três funcionários portadores de deficiência, que atuam em todo o processo de produção das mudas, desde a colheita das sementes até a produção do adubo utilizado nos canteiros. A maioria das sementes é recolhida nas próprias reservas ambientais da Kinross ou doada por outros colaboradores. Já o adubo é feito pelo processo de compostagem, que utiliza o resíduo orgânico gerado na empresa, e depois misturado com terra, areia e adubo orgânico para servir de substrato para as plantas. Cada espécie é plantada no local ideal, dependendo da luz solar adequada, e até que fique no ponto para ser replantada pode se passar meses.

“O Viveiro existe desde a construção do nosso site, e fomos desenvolvendo mais usos para as mudas produzidas. Isso agrega valor, os funcionários podem conhecer o trabalho que está sendo feito e a comunidade também se beneficia”, explica Osmar Alves Ferreira, supervisor de Meio Ambiente, sobre o viveiro interno da Kinross.

Responsabilidade ambiental

O Viveiro de Mudas também é responsável pela maior parte das mudas usadas no programa de recuperação de áreas. O plantio abundante nesses locais acelera o reestabelecimento da terra das áreas utilizadas e áreas de empréstimo, de onde a terra é retirada para a construção da barragem. Aliado a isso, a Kinross também faz as chamadas “curvas de nível verde” nessas áreas, um processo que cria condições para redução da erosão e favorece a reabilitação do habitat.

Clique e acesse mais notícias da categoria sustentabilidade. 

0
0