EFC alcança marca histórica com melhor resultado em segurança operacional desde o início da operação

Um trabalho em equipe e focado na gestão integral de prevenção a acidentes trouxe um marco histórico para a Estrada de Ferro Carajás em 2017: o melhor índice em segurança operacional da nossa história, com redução de 14,8% na taxa de acidente por milhões de trem por quilômetro (Ac/MTKM) em relação ao ano de 2016. Este é o melhor resultado do indicador Ac/MTKM da história da EFC.

​Para o supervisor da CPIA, Igor Dias, um conjunto de ações contribuíram para a redução dos índices em 2017, entre eles a desmobilização de passagens em nível com a construção de viadutos, a capacitação dos pontos focais de segurança operacional no processo de investigação de acidentes, a elaboração de plano estratégico de recuperação, além da gestão de tratamento de quase acidentes pelas subcomissões de CPIA. “Todas essas iniciativas foram muito importantes e contaram com a participação de todas as equipes na busca pelo resultado”, destacou.

Entre os itens com melhores índices de redução, o destaque vai para os abalroamentos, com 80% de diminuição se comparado à média dos últimos cinco anos: “Evoluímos também nas ocorrências de causa técnica chegando ao melhor resultado dos últimos 5 anos em número absoluto”, ressaltou Igor. Com relação ao número absoluto de ocorrênciasigualou-se à mesma marca de 2013 (até então melhor resultado) com 28 ocorrênciasconsideradas, sendo que, em 2017, houve um volume 36% superior ao daquele ano.

 Os desafios para 2018 continuam. De acordo com Igor Dias, ainda existem oportunidades para atuar de maneira mais eficiente junto às comunidades com o objetivo de reduzir o número de atropelamentos. Esse será um dos principais focos da CPIA este ano. “Vamos implantar um plano permanente de campanha junto às comunidades, intensificar a utilização das mídias sociais com foco em terceiros e implantar placas com alerta de risco de atropelamentos”.

0
0