Ex-presidente FHC diz que mineração e agronegócio serão caminhos para Brasil vencer a crise

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Em debate virtual nesta 5ª feira (21/05), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) foi taxativo ao afirmar que “a recuperação da economia brasileira virá mais da mineração e do agronegócio do que das demais atividades industriais”. Ele disse que no quadro atual “o Brasil não pode se descuidar desses dois setores”, assim como de outras ações como saneamento, educação e saúde, entre outras. Segundo ele, o Brasil é um intensivo exportador de commodoties agrícolas e minerais e, por meio do agronegócio e da mineração, gera importantes divisas com as vendas nos mercados internacionais.

FHC no alto à direita e Wilson Brumer, do IBRAM, na parte inferior da tela do debate virtual.

Essa preponderância do agronegócio e da mineração no Brasil foi conquistada, segundo FHC, graças aos investimentos que os dois segmentos fizeram em inovação, ciência e tecnologia ao longo dos anos. “O agronegócio e a mineração fizeram isso e avançaram”, disse. Ele espera que os demais setores industriais sigam o mesmo caminho para reduzir a dependência externa. “Temos capacidade instalada para produzirmos muitas coisas, como aviões, navios, submarinos. Temos que expandir essa nossa capacidade”, disse, seguindo o exemplo dos países asiáticos.

O presidente do Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Wilson Brumer, foi um dos debatedores no evento virtual organizado pela Conexão Empresarial/ VB Comunicação. Ele concordou com o ex-presidente e lembrou que agronegócio e mineração “são dois segmentos muito representativos na balança comercial”.


Brumer disse que a mineração tem condições de expandir sobremaneira a geração de benefícios ao país, uma vez que há enorme espaço para ampliar o conhecimento geológico no Brasil, de forma a multiplicar a identificação de jazidas minerais. Mas, segundo ele, é preciso, também, que o país discuta e aprove reformas estruturais, de modo a tornar o país mais atrativo a investimentos e mais competitivo. Wilson Brumer disse que durante esta pandemia o Brasil precisa repensar e preservar suas cadeias produtivas e ainda avaliar a adoção de um processo de reindustrialização.

Fernando Henrique concordou com Wilson Bumer: “O Brasil não pode se dar ao luxo de desprezar o que foi feito em termos de industrialização. Temos que recompor essas cadeias produtivas. Elas existem e vão continuar a existir”, afirmou.

O ex-presidente disse que a retomada das atividades produtivas deve ser feita de forma gradual e ordenada. “É preciso analisar com calma, ir com jeito, fazer experiências, aprender com erros e acertos(…) é preciso ter consciência que não dá para abrir (liberar funcionamento normal de negócios) de uma vez. Tem um caminho a seguir até se chegar a isso”, afirmou.

3
1