Inovações tecnológicas garantem mais eficácia e segurança na operação

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Segundo a pesquisa “Investimentos na Indústria 2019-2020”, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), 84% das grandes empresas afirmaram que vão investir ao longo deste ano de 2020. Esse percentual é o maior dos últimos seis anos. “Para 2020, percebemos maior segurança para manter e ampliar investimentos”, avalia o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Entre os principais objetivos para este ano, o destaque fica por conta da melhoria do processo produtivo: 36% das empresas pesquisadas apontam que o aumento de produtividade é o grande alvo quando pensam em investir – percentual semelhante ao previsto no ano passado. Na sequência, 23% dos gestores pretendem ampliar a capacidade da linha produtiva. Neste caminho, grandes indústrias como a Mineração Rio do Norte (MRN), que opera no distrito de Porto Trombetas, em Oriximiná, Oeste do Pará, estão investindo na implantação de novas tecnologias alinhadas com o modelo de Indústria 4.0, que prioriza a automação de processos e linha de produção.

Nos últimos dois anos, a MRN adquiriu ferramentas que estão fornecendo uma quantidade maior de dados com alta resolução e precisão, gerando modelos que garantem maior assertividade, segurança e precisão nas operações. “Por meio destas ferramentas são mitigadas eventuais entradas em zonas não mineralizadas, reduzindo a quantidade de equipamentos e a exposição de pessoas na frente de trabalho, controlando e reduzindo riscos operacionais”, comenta Marco André Monteiro, Gerente de Departamento de Geologia e Planejamento de Longo Prazo.

Implantada há 2 anos pelos departamentos de Geologia e Planejamento, a Tecnologia de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento utiliza técnicas modernas através de capturas de imagens de satélites e de drones em alta resolução, para investigação e delineamento de alvos exploratórios. Entre os benefícios desta tecnologia para a performance na operação está a delimitação com maior precisão dos platôs existentes, definindo os limites para modelamento dos recursos e suporte na elaboração dos planos de lavra. “Permite ainda identificar novos alvos exploratórios, com potencial de incorporar novos recursos e prolongar a vida útil da operação, com geração de valor e oportunidades, tornando a empresa mais atrativa e competitiva”, relata o Gerente de Departamento de Geologia e Planejamento de Longo Prazo.

Inovações – Implantada há 6 meses, a Tecnologia Georadar Portátil Terrestre para mapeamento, controle de lavra e orientação da sondagem contribui para os trabalhos das equipes de Geologia e Exploração por meio da interpretação dos dados e na interface com as áreas de planejamento e operação, mapeando a espessura e a continuidade do minério (topo e base) ao longo de todo o perfil, orientando o plano de sondagem e dando maior previsibilidade ao planejamento e operação de mina, de forma rápida e precisa. “Essa tecnologia permite aprimorar o modelo geológico, reduzindo as incertezas, resultando em maior previsibilidade no plano de lavra, maior precisão na definição dos contatos (estéril e minério). Os resultados são benéficos e implicam em novas formas de realizar os processos da lavra e recuperação da área lavrada, com melhoria da qualidade do produto e redução de custos operacionais. Outro benefício importante é na redução do impacto ambiental, direcionando as sondagens apenas aos locais de maior interesse”, comenta Monteiro.

Outra inovação implantada também há 6 meses é o Sistema Automatizado para Coleta e Uso de Dados Geológicos, que está contribuindo para aumentar a integridade do banco de dados, com padronização das informações, maior precisão e rapidez na coleta dos dados das equipes de Geologia e Planejamento. “Antes, a coleta e entrada de dados era inserida de forma manual, com maior tempo de resposta, menor confiabilidade e menor nível de integridade da base de dados. Com a automatização, o banco de dados traz informações mais precisas e confiáveis, integradas com outras interfaces operacionais com acesso em tempo real dos dados na nuvem (online), permitindo a tomada de ações e decisões mais rápidas e de forma mais assertiva”, compara Gerente de Departamento de Geologia e Planejamento de Longo Prazo.

Tecnologia Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento – crédito: divulgação
2
0