Estudantes da Ufopa têm aula de campo sobre reabilitação de mina em Juruti

Acadêmicos e professores do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa/Santarém) conheceram o método de reabilitação de áreas mineradas, conhecido como nucleação, em visita à mina de bauxita da Alcoa localizada em Juruti/PA. Os visitantes receberam informações e comprovaram que o método de nucleação acelera o processo de formação natural do solo e busca deixar o ambiente onde houve a lavra mais próximo do ambiente original, com aproveitamento do solo orgânico, das galhadas, dos troncos e raízes. Essa tecnologia é reconhecida como inovadora no setor mineral.

“O diferencial da nucleação nos processos de mineração, está na preocupação com o manejo da água, pois são formadas microbacias de retenção para propiciar a reestruturação das camadas de solo através da infiltração. Além disso, esse novo método proporciona a formação de diferentes habitats que possibilitam o desenvolvimento e o restabelecimento da vegetação e dos animais nessa nova área”, ressalta a engenheira florestal da Alcoa, Susiele Tavares. Para ela, esse método pioneiro na Amazônia, busca a restauração natural da área, especialmente considerando as características das chuvas amazônicas e o manejo da água. Depois de três anos de implantação do método é possível observar que os resultados foram superiores ao esperado no Plano de Reabilitação.

O professor José Sacramento, que ministra disciplina sobre recuperação de áreas degradadas, considerou essa aula prática muito importante, pois receberam informações sobre todo o processo de recuperação de áreas degradadas, desde a supressão da vegetação até os processos de recuperação e posterior retomada da vegetação nativa. “Foi uma tarde muito proveitosa em que os alunos puderam fixar o que estudam na teoria. Aqui eles tiraram as dúvidas e aprimoraram o conhecimento adquirido em sala de sala. Vai complementar a formação deles. Essa prática poderá ser usada por eles de forma profissional, o que vem agregar muito no currículo deles como profissionais”, destaca.

“Isso abre a nossa visão de como incorporar essas técnicas, no futuro, quando a gente precisar implementar projetos de recuperação de áreas degradadas”, considerou o acadêmico Leandro Jun Soki Shibutani, que cursa o último semestre de Agronomia na Ufopa. Para ele, o que mais chamou atenção foi a dimensão do mercado profissional dessa área e o quanto a empresa está preocupada em reabilitar as áreas mineradas para torná-las próximas ao que era antes. “É uma coisa nova pra nós e ficamos deslumbrados com a técnica de nucleação, que só tinha visto na teoria”, finalizou.

O método inovador de nucleação, aplicado na reabilitação das áreas visitadas pelos acadêmicos e professores da Ufopa, é desenvolvido com a participação das comunidades próximas da mina. “Comunitários participam do processo, com o cultivo, venda e plantio das mudas nas áreas mineradas, com orientação e apoio da empresa”, explicou Susiele Tavares. Segundo ela, depois de três anos de implantação do método, é possível observar que os resultados foram superiores ao esperado no Plano de Reabilitação.

Parceria – A cada ano se intensifica a parceria da Alcoa com o Campus da Ufopa em Juruti. No último sábado, 19/10, o superintendente de Mineração da Alcoa Juruti, engenheiro Rhayma Silva, conversou com os estudantes do curso de Engenharia de Minas sobre carreira e desafios da mineração. “Compartilhar nossa rotina dentro da empresa é uma forma de estimular os alunos para que eles fortaleçam dentro de si o desejo de se tornarem bons profissionais”, relatou Rhayma Silva.

Para o calouro Rafael Brasil, essas palestras são muito importantes porque mostram os desafios que o estudante terá de enfrentar como futuro profissional da área. “Nós somos estudantes e não temos contato com o mercado de trabalho. Então, essa experiência que eles nos trazem, é de extrema importância para a nossa vida profissional daqui pra frente”, considerou.

0
0