IBRAM firma aliança com CNI para defesa de interesses do setor mineral

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brumadinho (Senado Federal) e a Comissão Externa destinada a fazer o acompanhamento e fiscalizar as barragens existentes no Brasil (CEXBRUMA – Câmara dos Deputados) chegaram ao final de seus trabalhos com a apresentação de um conjunto de Projetos de Lei que, se aprovados, vão trazer cenários bem complexos para o futuro da atividade mineral no Brasil.

Visando a ampliar a estratégia de defesa de interesses da indústria mineral, o Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) buscou uma aliança institucional com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e promoveu nesta semana, 30/08, em Brasília, o “Diálogo Técnico sobre Segurança de Barragens”. O evento contou com a participação dos Gerentes-Executivos e outros gestores dos Conselhos de Meio Ambiente (COEMA), Infraestrutura (COINFRA) e Assuntos Legislativos (COAL), além da FIEMG e toda equipe do IBRAM.

Os principais resultados do diálogo foram as definições de estratégias de atuação conjunta entre IBRAM e CNI, bem como a unificação de discursos e identificação de prioridades. O IBRAM elaborará documentos técnicos que irão subsidiar a defesa de interesses especialmente junto ao Senado Federal. Uma agenda de encontros políticos junto os Presidentes do Senado e Câmara Federal vai ser trabalhada. Da mesma forma, o IBRAM atuará no sentido de trazer outros atores relevantes para o debate, como o Instituto Aço Brasil, Associação Brasileira do Alumínio, Sindicato Nacional da Indústria do Cimento, Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, Associação de Municípios Mineradores de Minas Gerais, dentre outros.

O IBRAM também atuará junto ao Governo, mobilizando Ministério de Minas e Energia, Ministério do Desenvolvimento Regional, Presidência da República e agências como Agência Nacional de Águas, Agência Nacional de Energia Elétrica e Agência Nacional de Mineração, considerando que muitos dos projetos em pauta também afetam setores governamentais.

0
0