IBRAM assina ‘Memorando de Entendimento’ com a Bolsa de Toronto e a TSX Venture Exchange para aumentar o investimento canadense no setor

A colaboração com os principais mercados acionários do Canadá poderá contribuir para a expansão dos negócios do setor no Brasil
IBRAM assina ‘Memorando de Entendimento’ com a Bolsa de Toronto e a TSX Venture Exchange para aumentar o investimento canadense no setor
IBRAM assina ‘Memorando de Entendimento’ com a Bolsa de Toronto e a TSX Venture Exchange para aumentar o investimento canadense no setor – crédito: divulgação

O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) informa que assinou, nesta 2ª feira, 2 de março, em Toronto (Canadá), um Memorando de Entendimento (MOU) com a Toronto Stock Exchange (TSX) e a TSX Venture Exchange (TSXV) para estabelecer um relacionamento colaborativo destinado a aumentar o investimento no setor de mineração brasileiro nos próximos anos. As duas partes esperam que o MOU abra perspectivas para a expansão da pesquisa geológica, exploração e desenvolvimento de projetos de mineração no Brasil.

Algumas das iniciativas estabelecidas no MOU incluem o aumento do número de empresas de mineração brasileiras nas bolsas de valores canadenses e a identificação conjunta de oportunidades para aumentar a atratividade do investimento para o setor de mineração brasileiro. O IBRAM irá desempenhar papel fundamental na implementação das ações contempladas no MOU, incluindo a identificação de projetos atraentes e oportunidades de investimentos no setor mineral brasileiro. O IBRAM e as bolsas também organizarão uma agenda conjunta para promover a mineração brasileira, como conferências de investidores destinadas a atrair investimentos canadenses.

Wilson Brumer, presidente do Conselho Diretor do IBRAM e signatário do acordo, comentou: “Temos o prazer de trabalhar com a Toronto Stock Exchange e a TSX Venture Exchange. Estamos empolgados em elevar o perfil do Brasil na comunidade canadense de investimentos em mineração e nos mercados de capitais canadenses. Esperamos que este MOU seja mutuamente benéfico para os investidores canadenses e o Brasil, e é nosso objetivo ver o Canadá e outros países reconhecerem as excelentes oportunidades de investimentos no nosso país, dotado de uma mineração altamente prospectiva e geologicamente diversa. Também esperamos que os novos investimentos, resultantes dessa colaboração com a TSXV, impulsionem a pesquisa geológica, essencial para aumentar a produção mineral brasileira”.

O IBRAM calcula que os investimentos no setor mineral brasileiro irão se expandir nos próximos anos. Em fevereiro último, o Instituto anunciou que o valor dos investimentos no setor de mineração brasileiro deverá ser de US$ 32,5 bilhões no período 2020-2024, representando um aumento de 18% nos investimentos em comparação com a previsão para 2019-2023. Esse aumento será impulsionado por investimentos em projetos minerários (green field e brown field) e segurança operacional.

“Temos o prazer de trabalhar com o IBRAM em esforços conjuntos para promover o setor de mineração brasileiro, pois este é um mercado importante para a Toronto Stock Exchange e a TSX Venture Exchange”, disse Robert Peterman, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios Globais, TSX e TSXV. “Temos mais de 35 empresas em nossos mercados, com mais de 100 propriedades no Brasil, e acreditamos que nossas bolsas continuarão sendo importantes parceiras e fontes de capital para as empresas de mineração brasileiras”.

Flávio Penido, diretor-presidente do IBRAM, também comentou: “O setor mineral do Brasil apresenta excelentes oportunidades de investimento. Apenas 30% dos 8,5 milhões de km2 do país têm pesquisa geológica adequada para mineração. As minas ocupam apenas 0,6% do território do país, portanto, há um enorme potencial para novos investimentos e a descoberta de futuros depósitos de classe mundial”.

SOBRE O IBRAM

O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), uma organização nacional privada e sem fins lucrativos, representa as empresas e instituições que atuam no setor mineral em busca do estabelecimento de um ambiente favorável aos negócios, à competitividade e ao desenvolvimento sustentável.

Considerado o porta-voz da Mineração Brasileira, o Instituto reúne mais de 130 associados que, direta ou indiretamente, fazem parte da atividade mineral brasileira. São mineradoras, entidades de classe patronais, empresas de engenharia mineral, ambiental, de geologia, fabricantes de equipamentos, centros de tecnologia, bancos de investimento, entre outros.

Informações adicionais – http://portaldamineracao.com.br/ibram

0
0