IBRAM debate soluções para o desenvolvimento integrado e perspectiva de ação dos setor privado


Projeto “Desafios para o Desenvolvimento: Amazônia Sustentável” – Crédito: divulgação

Os modelos e metodologias de desenvolvimento integrado na Amazônia foram o foco de uma série de discussões promovidas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) por meio do projeto “Desafios para o Desenvolvimento: Amazônia Sustentável”. A edição de Belém, realizada no dia 9 de abril (segunda-feira), contou com a presença do diretor de assuntos Ambientais do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), Rinaldo Mancin.

A abertura do evento foi realizada pelo representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán e pelo superintendente geral da FAS, Virgílio Viana. Em seguida os participantes discutiram a forma de elaboração dos projetos de desenvolvimento integrado, as metodologias utilizadas e as lições que podem nortear os demais estados da Amazônia. As palestras ficaram a cargo do diretor de projetos, Pará 2030 da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Estado do Pará, Daniel Bentes e do Diretor Executivo da Estratégia Produzir da Conservar e Incluir do Mato Grosso, Fernando Sampaio.

A programação teve sequência com discussões relacionadas aos projetos de desenvolvimento na Amazônia e a conversão de diferentes setores econômicos na construção de um modelo sustentável. Os participantes também debateram o papel dos Bancos de Desenvolvimento e a importância de investimento em ciência e tecnologia. Em seguida o diretor executivo de Terras da App Solutions apresentou as soluções para a conexão com crédito rural e o mercado do agronegócio.

Rinaldo Mancin apresentou soluções para o desenvolvimento integrado considerando as perspectivas de ação dos estados e do setor privado. Marcos Dal Fabbro, pesquisador do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, Gilberto Siqueira, especialista em Planejamento e Políticas Públicas na Amazônia e a diretora de Desenvolvimento Institucional do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável Ana Carolina Avzaradel Szklo também participaram do debate. Foram discutidos também os desafios e oportunidades para a implementação de uma agenda de transformação a partir de investimentos em infraestrutura e mineração em vetores do desenvolvimento sustentável.

Para do diretor de assuntos ambientais do IBRAM, esse tipo de debate é fundamental para “maximizar os benefícios sociais dos projetos de desenvolvimento e promover a convergência dos diversos setores da economia em busca do desenvolvimento sustentável”.

No encerramento do evento Karen Oliveira, coordenadora da Iniciativa de Crescimento Verde para o Estado do Pará da The Nature Conservancy (TNC), Eugenio Scannavino Netto, criador e coordenador do Projeto Saúde e Alegria e Roberto Araújo, pesquisador do Museu Paraense Emílio Goeldi/MCTIC discutiram os componentes socioambientais das soluções para o desenvolvimento integrado e os desafios e oportunidades para a implementação de uma agenda socialmente inclusiva e ambientalmente sustentável.

O encontro contou com a participação de profissionais de diversas áreas, além da mineração, autoridades e formadores de opinião. Um dos objetivos principais é coletar opiniões e compartilhar conhecimentos para construir um relatório a ser preparado pela FAS. Além de fortalecer o diálogo rumo à implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na Amazônia (ODS), o relatório contribuirá para a identificação, pelo BID, dos principais desafios para o desenvolvimento, assim como, posteriormente, à preparação da “Estratégia País” para os próximos quatro anos.

0
0