IBRAM prevê boas perspectivas de negócios para a mineração brasileira

Cerimônia de abertura da 9ª edição do CBMINA – crédito: Glenio Campregher

O Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) acredita que a mineração brasileira apresenta perspectivas positivas em termos de geração de negócios. “Temos perspectivas positivas para as próximas décadas e precisamos agir em conjunto para que possamos gerar mais negócios, mais empregos e mais renda para este País” disse o diretor-presidente, Walter Alvarenga, na solenidade de abertura da 9ª edição do Congresso Brasileiro de Minas a Céu Aberto e Minas Subterrâneas (CBMINA), na noite de ontem (1/8), em Belo Horizonte (MG).

Alvarenga reconhece que o presente é marcado por turbulências na política e na economia, mas afirmou que “a indústria mineral não pode parar e estamos aqui para demonstrar isso a toda a sociedade”. Além do CBMINA, que traça os cenários do setor, Alvarenga lançou ontem a EXPOSIBRAM 2019, que é um dos maiores eventos da mineração da América Latina. Ela será realizada em setembro do ano que vem, na capital mineira.

“Nosso calendário de eventos é uma sinalização para a sociedade de que a indústria mineral está trabalhando para se tornar mais competitiva e gerar cada vez mais benefícios à economia nacional”, afirmou.

O CBMINA é uma realização do IBRAM em parceria com a UFMG. Roberto Galery, Chefe do Departamento de Engenharia de Minas da UFMG, ressaltou a importância desta parceria. “Ela é fundamental para trazer conhecimento atualizado sobre a mineração aos universitários”, ressaltou.

Maria José Salum, diretora do Departamento de Desenvolvimento da Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, representou o titular, Vicente Lôbo. Ela lembrou que esteve na equipe que organizou a primeira edição do evento e celebrou o fato de o IBRAM e a Universidade estarem ainda juntos na realização desta nona edição.

“O CBMINA permite mais desenvolvimento para mineração, estimula a parceria entre empresas ao longo da cadeia produtiva e isso gera mais competitividade”, afirmou. Salum falou em seu discurso que o governo federal considera ter conseguido melhorar o ambiente de negócios para a mineração brasileira ao conduzir a regulação do código mineral, criar a Agência Nacional de Mineração (ANM), entre outras ações.

O representante do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, foi o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Luís Gomes Vieira. Ele celebrou o fato de o governo estadual promover a aproximação e o diálogo entre o setor mineral e os órgãos ambientais para facilitar a evolução dos projetos minerários. Ele disse que um dos esforços do governo mineiro é abrir oportunidades para aproveitar os rejeitos minerais pela construção civil, em um primeiro momento. Disse que tem buscado apoio até de empresas chinesas para internalização de know-how sobre o assunto. “É um caminho a seguirmos, de acordo com o conceito de economia circular”, afirmou.

Professor Doutor Cláudio Lúcio Lopes Pinto recebe placa de homenagem das mãos de Wendel Gomes da Silva, Vice-Presidente do Conselho Diretor do IBRAM e gerente geral da Gerdau

Jogos Minerários e homenagem

Na solenidade de ontem à noite, as equipes de universitários vencedoras dos Jogos Minerários 2018 receberam suas premiações.

Além disso, a programação abriu espaço para homenagear com uma placa o Professor Doutor Cláudio Lúcio Lopes Pinto, um dos expoentes à frente da organização da série de eventos CBMINA.

Participaram da mesa de cerimônia os seguintes convidados: Germano Luiz Gomes Vieira, secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, representando Fernando Pimentel, governador de Minas Gerais, Roberto Galery, chefe do Departamento de Engenharia de Minas da UFMG, Maria José Gazzi Salum, diretora do Departamento de Desenvolvimento Sustentável na Mineração da secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, representando o secretário, Vicente Humberto Lôbo, Wendel Gomes da Silva, Vice-Presidente do Conselho Diretor  do IBRAM e  gerente geral da Gerdau, Roberto Perez Xavier, diretor executivo da Agência para o Desenvolvimento Tecnológico da Indústria Mineral Brasileira (ADIMB), Vitor Hugo Froner Bicca, diretor geral da Agência Nacional de Mineração (ANM), Esteves Pedro Colnago, diretor-presidente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Luís Márcio Vianna, Relações Institucionais do Sindiextra, e Ronaldo Gusmão, presidente da Sociedade Mineira de Engenheiros (SME).

Vencedores dos Jogos Minerários 2018 – crédito: Glenio Campregher 3- Cerimônia de abertura da 9ª edição do CBMINA – crédito: Glenio Campregher
Maria José Gazzi Salum, diretora do Departamento de Desenvolvimento Sustentável na Mineração da secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, representando o secretário, Vicente Lôbo – crédito: Glenio Campregher
Da esquerda pra a direita, Ronaldo Gusmão, presidente da Sociedade Mineira de Engenheiros, Luís Márcio Vianna, Relações Institucionais do Sindiextra; Roberto Perez Xavier, diretor executivo da ADIMB; Maria José Gazzi Salum, diretora do Departamento de Desenvolvimento Sustentável na Mineração da secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral do Ministério de Minas e Energia, Germano Luiz Gomes Vieira, secretario de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de MG, Walter Alvarenga, diretor-presidente do IBRAM, Roberto Galery, chefe do Departamento de Engenharia de Minas da UFMG; Wendel Gomes da Silva, Vice-Presidente do Conselho Diretor do IBRAM e gerente geral de Mineração da Gerdau; Vitor Hugo Bicca, Diretor-Geral ANM; Esteves Pedro Colnago, diretor-presidente da CPRM – crédito: Glenio Campregher
Jogo da Mineração durante a cerimônia de abertura da 9ª edição do CBMINA – crédito: Glenio Campregher
0
0