Para IBRAM, PDAC 2020 vai resultar em excelentes negócios em mineração no Brasil

Wilson Brumer, presidente do Conselho Diretor do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) e uma das lideranças da delegação brasileira que participou do #PDAC2020 – maior evento de pesquisa mineral do mundo –, em Toronto (Canadá), considera a edição deste ano uma das mais importantes para a mineração brasileira, em termos de criação de perspectivas sólidas para novos investimentos no Brasil.

“É um evento internacional para incentivar principalmente a pesquisa ou exploração mineral. E é o palco ideal para, em analogia ao objetivo central do PDAC, fazermos uma sondagem sobre os ânimos dos investidores estrangeiros em relação à mineração brasileira. Assim, constatamos que o conjunto de informações sólidas que a delegação do Brasil apresentou aos participantes do PDAC irá motivar uma marcante expansão nos negócios do setor nas próximas décadas”, afirmou Wilson Brumer.

A seguir, ele comenta um pouco mais sobre o PDAC 2020.

Wilson Nélio Brumer, Presidente do Conselho Diretor do IBRAM
Foto: Glenio Campregher

Portal da Mineração: Qual seu sentimento sobre a confiança dos investidores estrangeiros em relação ao futuro da mineração no Brasil após esses dias de PDAC?

Wilson Brumer – O Brasil, apesar dos esforços do governo federal e de boa parte do Legislativo, ainda conta com fontes que alimentam a insegurança jurídica. Diariamente a mineração e outros setores econômicos lutam contra tais iniciativas, que constroem barreiras ao desenvolvimento, inclusive, o industrial.

Foi importantíssimo que, neste PDAC, as vozes do governo federal – representado pelo secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Alexandre Vidigal de Oliveira –, do ente regulador, que é a Agência Nacional de Mineração, e as dos respeitados executivos de mineradoras com atuação global e os das entidades de mineração estivessem unificadas na confirmação de que são sólidas as perspectivas de expansão dos negócios sustentáveis em pesquisa e em implantação de novos empreendimentos minerários no Brasil nas próximas décadas.

Esse discurso afinado e embasado em fatos – e não em suposições – foi determinante para estimular a confiança e o interesse dos investidores.

Além disso, a assinatura de um Memorando de Entendimento entre o IBRAM e a Toronto Stock Exchange (TSX) e a TSX Venture Exchange (TSXV), no dia 2 de março, em Toronto, para estabelecer um relacionamento colaborativo destinado a aumentar os investimentos no setor de mineração brasileiro nos próximos anos se mostrou uma segurança a mais para embasar as análises de futuros investimentos por parte dos estrangeiros.

Ressalto que a ADIMB e seus representantes tiveram excelente desempenho ao coordenar a delegação brasileira no PDAC, o que contribuiu significativamente para o sucesso dos contatos mantidos este ano. Destaco, ainda, a clareza e o detalhamento de dados apresentados pelos que representaram o governo brasileiro, a Agência Nacional de Mineração e as mineradoras que atuam no Brasil.

Portal da Mineração: Após o anúncio do acordo com as bolsas de valores canadenses, criou-se uma expectativa sobre os próximos passos desse projeto. Ele será realizado apenas nas bolsas do Canadá ou também em bolsa de valores no Brasil? Como empresas interessadas em participar devem agir neste momento?

Wilson Brumer – Algumas das iniciativas estabelecidas no Memorando de Entendimento (MOU) incluem o aumento do número de empresas de mineração brasileiras nas bolsas de valores canadenses e a identificação conjunta de oportunidades para aumentar a atratividade do investimento para o setor de mineração brasileiro. O IBRAM irá desempenhar papel fundamental na implementação das ações contempladas no MOU, incluindo a identificação de projetos atraentes e oportunidades de investimentos no setor mineral brasileiro. O IBRAM e a bolsa canadense também organizarão uma agenda conjunta para promover a mineração brasileira, como conferências de investidores destinadas a atrair investimentos canadenses.

As ações vão se realizar tanto no Canadá quanto no Brasil e novidades sobre o tema serão divulgadas publicamente em breve. Importante frisar que esta iniciativa estará aberta tanto a mineradoras associadas ao IBRAM quanto a não associadas.

Portal da Mineração: As autoridades, empresários e investidores estrangeiros demonstraram mais interesses em quais tópicos relacionados à mineração no Brasil?

Wilson Brumer – As questões regulatórias chamaram muito a atenção porque a Agência Nacional de Mineração está promovendo mudanças muito positivas para agilizar os processos técnicos que envolvem todas as fases da mineração industrial.

As políticas recentes anunciadas pelo governo federal em prol da expansão da mineração no Brasil foram outros focos de atenção. O governo brasileiro afirma e age para aumentar e diversificar a produção mineral e isso abriu os olhos dos investidores durante o PDAC. A perspectiva é de reverter uma situação em que quase 40% do território brasileiro se encontravam indisponíveis para a pesquisa e o desenvolvimento de mineração. A abertura de novas áreas para a atividade, como anuncia o governo brasileiro, aumenta significativamente a perspectiva do país no setor.

Nas conversas que mantivemos, nas palestras e debates dos quais participamos ativamente no PDAC 2020, procuramos mostrar que o Brasil tem um enorme potencial para a descoberta de depósitos de classe mundial, já que possui grandes províncias minerais e diversidade geológica inigualável, como minério de ferro, cobre, ouro, manganês, níquel, estanho, molibdênio, vanádio, zinco, cromo, potássio, bauxita, terras raras e outros.

O Brasil atualizou seus bancos de dados geológicos e possui um dos bancos de alta resolução mais abrangentes do mundo. Recentes descobertas de jazidas têm empolgado os investidores e conduzido o setor mineral do Brasil a um novo período de crescimento, impulsionado pelo crescimento econômico gradual, estabilidade política e expansão da infraestrutura no país, como demonstrou, por exemplo, o secretário Alexandre Vidigal em suas apresentações no PDAC.

A delegação brasileira também teve a oportunidade de apresentar o programa de inovação voltado exclusivamente à indústria da mineração, inédito no mundo, o que despertou curiosidade. Trata-se do Mining Hub, espaço de inovação aberta onde convivem e colaboram para desenvolver soluções conjuntas destinadas ao setor as mineradoras, as fornecedoras, as startups, os pesquisadores e outros atores. Ali as novas e tradicionais gerações da mineração interagem em busca de soluções para o futuro da mineração e para reforçar a competitividade do setor.

Portal da Mineração: Acredita que após esta participação do Brasil no PDAC crescem as chances de a EXPOSIBRAM 2020 atrair mais participantes estrangeiros?

Wilson Brumer –O IBRAM promoveu a EXPOSIBRAM durante o PDAC 2020 e recebemos muitas mensagens de potenciais participantes e expositores. Ela  será organizada  em Belém (PA), de 24 a 27 de agosto, e a expectativa é apresentar uma evolução nas perspectivas de novos negócios na mineração do Brasil para as próximas décadas. Com isso, novas contribuições socioeconômicas serão apresentadas pelo setor mineral ao Brasil e os brasileiros enxergarão esta vantagem de poder contar com uma mineração arrojada, respeitada internacionalmente e parceira do desenvolvimento nacional.

PDAC 22020 – crédito: divulgação

 

IBRAM assina ‘Memorando de Entendimento’ com a Bolsa de Toronto e a TSX Venture Exchange para aumentar o investimento canadense no setor
Acordo operacional com bolsa de valores no Canadá foi um dos pontos de destaque da viagem dos representantes do IBRAM ao Canadá – crédito: divulgação

 

Mineradoras devem ser ‘companhias verdes’ para ter sucesso no mercado de capitais
Mineradoras devem ser ‘companhias verdes’ para ter sucesso no mercado de capitais – crédito: divulgação
0
0