Normas Técnicas – CONIM

O IBRAM desenvolve desde 1994 um amplo programa de apoio à participação das empresas brasileiras produtoras de minério de ferro, minérios e concentrados de cobre e níquel e produtos primários de níquel nos trabalhos de desenvolvimento de normas técnicas ISO e ABNT. Este programa é coordenado pelo IBRAM-CONIM – Comitê para a Normalização Internacional em Mineração, sediado no IBRAM-MG.

Estas normas são de suma importância para os fornecedores e consumidores desses produtos, uma vez que são usadas para quantificar suas características de qualidade, sobre as quais se faz o cálculo de faturamento, prêmios e multas de cada carregamento na interface comercial.

Pela forte atuação brasileira nos Comitês da ISO, o Brasil já sediou reuniões internacionais dos Comitês de Minérios de Ferro (TC 102), Minérios e concentrados de cobre, chumbo, zinco e níquel (TC 183) e Níquel e Ligas de níquel (TC 155).

Nos últimos anos ocorreu intensa mudança no quadro de profissionais das empresas e, consequentemente, perdeu-se boa parte da experiência mais sedimentada de elaboração e aplicação das normas para controle de produção e embarques. Atento a isso, e atendendo à demanda das empresas, o CONIM criou um programa de cursos para capacitar novos especialistas nesse campo.

Benefícios da participação nos trabalhos de normalização:

Comerciais:

• Possibilita a defesa de interesses das empresas mineradoras no estágio de elaboração das normas;

• Propicia a ocupação de posições-chave na estrutura da ISO ou ABNT.

 Técnicos:

• Possibilita a participação da empresa em testes interlaboratoriais internacionais, o que é um excelente instrumento para mensurar e aprimorar a eficiência dos laboratórios e sistemas de amostragem;

• Promove o desenvolvimento técnico e aperfeiçoa a comunicação verbal e escrita, dos seus participantes, inclusive na língua inglesa;

• Proporciona estreito contato com concorrentes e clientes;

• Traz à tona tecnologias de ponta dos setores envolvidos.

 Planejamento estratégico:

• Permite à empresa avaliar cenários e tendências tecnológicas e mercadológicas do setor, bem como a reação dos fornecedores concorrentes.

 

Notícias sobre o CONIN