Mineração pode ajudar a carregar mais rápido a bateria do celular

Cientistas americanos da Rice University, Houston (EUA), descobriram como carregar as baterias de lítio (foto) 20 vezes mais rápido usando carbono derivado de asfalto com nanotiras de grafeno e revestido com lítio metálico.

E olha só que legal: gerado a partir de combinações de átomos de carbono, o grafeno é capaz de acelerar a velocidade da internet, filtrar o sal da água do mar, carregar uma bateria de celular em segundos e até ajudar no sequenciamento genético.

O Brasil é um grande produtor de grafite, e detém uma das maiores reservas mundiais do mineral. Dados de 2013, disponibilizados pelo Departamento nacional de Produção Mineral (DPNM), informavam que a empresa Nacional de Grafite Ltda, uma companhia familiar controlada por brasileiros, respondia por 96% da produção do país. As maiores reservas nacionais encontram-se em Minas Gerais, Ceará e Bahia.

Em poucos anos anos, Minas Gerais terá a primeira planta do Brasil, para produção em escala comercial. Ou seja, se a invenção vier a ser utilizada em larga escala, o Brasil será beneficiado com muitos negócios.

Saiba mais
O grafeno é um material quase transparente, leve, maleável, mais forte que o aço, extremamente denso e um ótimo condutor de calor e de eletricidade. Empresas e governos levam seu potencial tecnológico muito a sério. Em 2013, a União Europeia (UE) estabeleceu o programa Graphene Flagship que, com um orçamento de € 1 bilhão, é uma das maiores iniciativas de pesquisa científica do mundo, reunindo cientistas de mais de 150 instituições de 23 diferentes países.

Fonte: site Brasil Escola/Gazeta do Povo

0
0