Mineração Taboca atualiza infraestrutura de telefonia IP

A Mineradora Taboca – que atua no mercado de mineração e metalurgia de estanho e minerais industriais, desde 1969, com escritórios em Manaus (AM) e Pirapora do Bom Jesus (interior de São Paulo), e uma operação de mineração na Vila do Pitinga, povoado que fica a 350 km da capital do Amazonas – implantou um projeto de telefonia IP desenvolvido pela Dimension Data, empresa global de soluções e serviços de TI, e conquistou diversos benefícios na comunicação com parceiros, clientes, fornecedores e entre seus mais de mil colaboradores.

A iniciativa envolveu o suporte técnico e a atualização tecnológica de toda a estrutura dos 400 telefones IP’s utilizados pela mineradora pertencentes à fabricante Cisco, da qual a Dimension Data é uma das principais parceiras de integração. “O modelo que usávamos não era mais fabricado e quando precisávamos trocar um equipamento tínhamos de comprar telefones usados. Além disso, perderíamos todo o suporte caso não optássemos pelo upgrade”, explica Marcelo Nascimento, gestor de TI da Mineradora Taboca.

“A Dimension Data foi a que melhor entendeu nosso escopo e demonstrou ser a mais competitiva na questão de custo e de tecnologia. A segurança, a capacidade técnica e o know-how da sua equipe em comunicação unificada foram essenciais para atender às dificuldades de infraestrutura, já que uma das nossas unidades fica situada no meio da floresta Amazônica, ou seja, um local de difícil acesso em todos os sentidos”.

Nascimento comenta como era o cenário antes. “Dependíamos totalmente da central telefônica da unidade de São Paulo. Todas as ligações realizadas saiam com o DDD local, o 011, o que causava muita confusão. As pessoas não conseguiam entender onde realmente estávamos fisicamente. A partir do projeto, instalamos um gateway que viabilizou utilizar o DDD da cidade correspondente a cada localidade nossa, ou seja, as ligações que saem de Manaus são realizadas com o DDD 092, e as de São Paulo com o DDD 011”.

Segundo o executivo, essa dependência causava outro problema. “Caso houvesse alguma indisponibilidade ou queda na central de São Paulo, toda a comunicação das unidades era impactada. Com o gateway implantamos um modelo de redundância e conquistamos alta disponibilidade do sistema de telefonia: se São Paulo cair, o sistema de Manaus assume rapidamente, e vice-versa, sem impactar o negócio”.

O upgrade da tecnologia transformou a qualidade das ligações. “Muitas vezes as vozes ficavam metálicas e tinha delay na transmissão. Agora alcançamos mais nitidez e eliminamos os atrasos. Outro desafio superado foi a queda das ligações atendidas automaticamente pela nossa URA (Unidade de Resposta Audível) da central de São Paulo, que ao transferir as chamadas para os ramais acabava as derrubando muitas vezes, causando insatisfação das pessoas que tentavam entrar em contato conosco”.

O projeto possibilitou ainda o uso do SIP (Protocolo de Iniciação de Sessão), que garante mais qualidade das ligações, mesmo as de longa duração, e otimiza o uso da banda de internet, para realizar as chamadas telefônicas. “Isso evita a sobrecarga dos links de internet, o que, com certeza, trará redução de custos”, comenta João Neto, administrador de redes sênior da Mineradora Taboca e responsável pela implantação do projeto.

 O trabalho possibilitou também integrar voz e dados nas estações de trabalho, tornando a infraestrutura de comunicação convergente. A partir de agora, os colaboradores e executivos da empresa podem atender a uma chamada de seu ramal pelo próprio celular. No mesmo sentido, podem participar de uma conferência telefônica com o notebook ou ainda responder a um e-mail com mensagem de voz. São funções que não podem feitas na telefonia convencional.

 Neto cita a maior satisfação dos funcionários com a instalação do softphone, um aplicativo utilizado para realizar ligações utilizando o computador. “A comunicação de quem trabalha na mineração com suas famílias é restrita, pois não há infraestrutura para telefonia fixa. A adoção do softphone em seus desktops, ou notebooks, viabilizou a possibilidade deles se comunicarem de forma mais frequente com os familiares. Todos ficaram muito mais motivados com essa vantagem”.

 O softphone também é utilizado por parceiros que prestam serviços temporários à Mineradora Taboca. “Contratamos consultorias que ficam por um tempo determinado em nossas unidades, e, ao poder baixar o app eliminamos a necessidade de comprar um telefone para esses usuários, eliminando mais esse custo”, finaliza o analista.

 O próximo passo da parceria com a Dimension Data será disponibilizar o app para os celulares dos colaboradores em um futuro próximo, ampliando ainda mais as possibilidades de comunicação e a mobilidade.

0
0