Setor Mineral emprega mais de 180 mil pessoas em todo o Brasil

Muito além da geração de empregos, a indústria investe em saúde e segurança do trabalhador e colabora para a interiorização do desenvolvimento


Orlando Silva Amoras e sua filha – crédito: Imerys divulgação

O Dia Internacional do Trabalhador, celebrado em 1º de maio, teve origem em 1886. A comemoração remonta aos movimentos trabalhistas da cidade de Chicago, nos Estados Unidos, do final do século XIX. Essas ações surgiram como consequência direta da Revolução Industrial e da necessidade de melhorar a qualidade do ambiente de trabalho nas indústrias. No Brasil a data foi oficializada em 1924, durante o governo de Artur Bernardes.

Desenvolvido e coordenado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), o Programa Especial de Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração (MINERAÇÃO) auxilia as empresas do setor mineral na busca pela redução do número de acidentes ocupacionais. Por meio de atividades desenvolvidas com as associadas, o IBRAM constatou um maior engajamento das empresas com o sistema de gestão da qualidade na área de Saúde e Segurança no Trabalho (SST).

Algumas das maiores mineradoras que atuam no Brasil figuram os rankings das melhores empresas para se trabalhar, como do Instituto Great Place to Work. Focado na promoção da saúde e do bem estar de seus trabalhadores, o setor mineral emprega diretamente cerca de 180 mil pessoas, de acordo com dados do Ministério do Trabalho de 2017. Segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), o fator multiplicador para a indústria extrativa de transformação mineral é de um para 3,6 postos de trabalho. Ao final de 2017 o setor empregava 651 mil trabalhadores. Ao longo da cadeira industrial que o segmento representa, considerando o fator multiplicador de um para 11, existem dois milhões de pessoas envolvidas com a mineração.

São geólogos, engenheiros de minas, de segurança do trabalho, elétricos, soldadores mecânicos, técnicos em automação, entre tantos outros que trabalham diariamente em busca do desenvolvimento da humanidade.

Orlando Silva Amoras, de 53 anos, trabalha a 18 anos na Imerys como operador da sala de controle e se destacou como um dos funcionários que nunca se envolveu em acidentes. “Nossa função aqui é controlar o processo de produção, os minerodutos e as estações. Trabalhamos para tornar toda a linha estável e prevenir acidentes”, explica.

O operador conta ainda que é fundamental que as empresas invistam em segurança. Somente em 2017 a Imerys realizou 17.906 horas de treinamento. “Levamos muito a sério essa questão e não só dentro da empresa. Somos treinados periodicamente e reproduzimos o que aprendemos com nossas famílias e amigos. Vejo a diferença principalmente porque hoje consigo prever a situação e prevenir acidentes inclusive dentro da minha própria casa”, explica.

1
0