Vale e Amigos da Jubarte apresentam resultados de um ano de parceria do projeto

A temporada de visitas das baleias jubartes ao litoral capixaba começa só em junho. Enquanto a época de ‘avistar as grandonas’ não chega, a Vale e o Instituto Canal divulgaram, em abril, o “Diagnóstico Jubarte Lab”, apresentando os resultados do projeto em 2017, e as expectativas para este ano.

O projeto “Amigos da Jubarte” já identificou que o Espírito Santo recebe, anualmente, 25 mil baleias desta espécie. Isso possibilitou que diferentes profissionais, tais como: oceanógrafos, biólogos, estudantes e operadoras de turismos se unissem para estudar o comportamento das baleias e, juntos, pudessem levantar informações importantes sobre o comportamento desses animais, até então desconhecidos para os capixabas. De acordo com o gerente de relações com comunidades, Daniel Rocha, as informações foram catalogadas e a partir delas foi possível produzir um almanaque.

” Foi feito um histórico, rico em informações que servirá de apoio para estudos futuros, é um guia para escolas e para o próprio instituto. É importante para a Vale ser pioneira e apoiar projetos disruptivos como esse, completamente alinhado a política de sustentabilidade da empresa e que é conduzido pela nova geração de ambientalistas capixabas, conectados com a cidadania 2.0 “, afirma Daniel Rocha.

Algumas curiosidades sobre a espécie

  • Seu nome científico é Megaptera novaeangliae, que significa “grandes asas”, numa alusão às suas nadadeiras peitorais, que podem atingir até 1/3 do seu comprimento total
  • Está presente em todos os oceanos do mundo
  • Sua gestação dura 11 meses e o filhote costuma medir 4 metros e pesar 1,5 tonelada
  • Um adulto pode medir até 16 metros e pesar 40 toneladas, o que equivale ao tamanho de um ônibus e um carro juntos e ao peso de oito elefantes
  • Os machos da espécie cantam para chamar a atenção das fêmeas.
0
0