Gerdau anuncia vencedores do desafio internacional da sucata

A Gerdau divulgou, na última semana, os vencedores do “Desafio Internacional da Classificação Digital”, competição on-line que distribuiu US$ 45 mil às equipes com as melhores soluções para aumentar a precisão do processo de inspeção da sucata ferrosa nas operações da empresa. Dois grupos foram eleitos pelo júri especializado como os ganhadores do prêmio principal: um de Praia, em Cabo Verde, e outro de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Cada equipe levou um total de U$ 20 mil, enquanto o terceiro colocado, da Sérvia, ganhou U$ 5 mil.

Nos quase três meses em que ficou no ar, o desafio da Gerdau recebeu 90 projetos, idealizados por times de 18 países em todos os continentes. Os critérios técnicos considerados foram o grau de inovação, automação, precisão e integração da iniciativa com o contexto da empresa, além da sua viabilidade. Os vencedores apresentaram propostas baseadas no uso de inteligência artificial, reconhecimento por imagem, sensores e redes neurais. A Gerdau pretende trabalhar em parceria com as equipes para o desenvolvimento, validação de conceitos e implantação de novas soluções em escala industrial.

Junto de seus professores Jorge Trierweiler e Marcelo Farenzena, Jônathan Dambros, doutorando da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é um dos integrantes do trio gaúcho que se destacou entre as dezenas de soluções inscritas no concurso com uma proposta do uso de inteligência artificial para processamento de dados a partir de captação de imagens. Para o acadêmico, a melhor parte do desafio foi perceber o quanto a indústria brasileira valoriza a inovação no setor. “Eu tinha a intenção de prosseguir meus estudos na Alemanha, mas agora já considero ficar no Brasil e dar continuidade a esse trabalho de desenvolvimento de novas soluções”, afirma Dambros.

Jorge Trierweiler, professor da pós-graduação da UFRGS e um dos coordenadores do projeto, teve o primeiro contato com a inovação no setor de siderurgia e metalurgia em 1988, quando ainda era um aluno de iniciação científica da faculdade de engenharia química. Para ele, como os processos do setor evoluíram neste período, a aposta agora é explorar técnicas de transformação digital. “Desafios como esse da Gerdau são fundamentais porque criam conexões entre universidades e empresas”, conta.

O colombiano Jhonny Mosquera, membro da equipe de Cabo Verde – que divide a primeira colocação com os brasileiros, explica que o grupo tem acompanhado os investimentos da Gerdau em inovação. “Esses sinais nos confirmaram que estaríamos trabalhando com um parceiro-chave para o desenvolvimento também do nosso negócio”, acrescenta o capitão do time cabo-verdiano.

Para Marcos Faraco, diretor-executivo da Gerdau Aços Brasil, o “Desafio Internacional da Classificação Digital” está alinhado com o propósito da Empresa, de empoderar pessoas para construir o futuro. “Por meio de desafios como o da sucata, conseguimos nos conectar com novos parceiros, estabelecer novas relações de trabalho e nos aproximar da realidade dos mercados em que estamos presentes”, afirma o executivo.

Sobre o desafio

A Gerdau é responsável pela compra de cerca de 12,6 milhões de toneladas de sucata por ano. Como o seu valor depende do tipo, tamanho e da densidade do metal, o processo ainda depende de melhorias para aumentar seu grau de precisão. Entre os principais problemas enfrentados no método atual de classificação qualitativa da sucata estão a sua base fundamentada nas avaliações visuais de inspetores; grande variedade de contaminantes; composição química desconhecida da sucata; volatilidade do mercado; e acúmulo de elemento residual (cobre, zinco, estanho e terra), que compromete a qualidade da sucata.

Os projetos apresentados no desafio deveriam inspecionar, no mínimo, um volume de sucata metálica equivalente ao ritmo do processo de descarga atual; ter capacidade de processamento in loco; promover a classificação de grandes volumes em 30 minutos ou menos; e, também, possibilitar a condução do método mesmo em condições ambientais adversas. As ideias que atenderam esses pré-requisitos foram julgadas a partir de critérios de automação, precisão, inovação, viabilidade e integração.

Além disso, o fortalecimento do sistema de uso dos materiais recicláveis incentiva a substituição dos recursos naturais no setor siderúrgico, impactando positivamente o ciclo produtivo, por meio da conservação de matérias-primas, redução do consumo de energia e queda das taxas de emissão de CO2. Na sua busca pela inovação, a Gerdau decidiu lançar o desafio numa plataforma on-line de crowdsourcing, como forma de empoderar pessoas do mundo todo na construção do futuro desse mercado.

0
0