Imerys realiza projeto de compostagem em Ipixuna do Pará

Os primeiros resultados são animadores, com cerca de 100% de aproveitamento dos resíduos orgânicos e redução de custos com destinação final

A compostagem tem sido, cada vez mais, utilizada pelas empresas como alternativa para o gerenciamento de resíduos orgânicos. Isso porque os benefícios são inúmeros: minimiza os impactos ao meio ambiente, pois a quantidade de lixo diminui com o reaproveitamento e transformação dos materiais, e reduz custos gastos com a destinação final, já que em vez de seguir para aterros sanitários, por exemplo, o material composto passa a ser usado como adubo orgânico. Em Ipixuna do Pará, a Imerys, minerada de caulim, iniciou projeto na mina PPSA com uma recicladora de resíduos orgânicos.

Na compostagem é reaproveitada a matéria orgânica contida em restos de origem animal ou vegetal, que por meio de um processo biológico de decomposição formam um composto. “Todo esse processo dura 24 horas. Após esse período, retiramos 30% do material e deixamos 70% para função dos micro-organismos, necessários para acelerar a decomposição da matéria orgânica”, explica Rafael Ferreira, biólogo da Imerys.

A mineradora já percebe os resultados dessa iniciativa. A média mensal de cerca de duas toneladas de resíduos orgânicos geradas no restaurante da mina PPSA, agora são 100% reaproveitadas na compostagem. “Há quatro meses, colocamos a máquina de compostagem em operação. Os custos com toda a destinação final para empresas que recolhiam os resíduos orgânicos para incineração, praticamente, foram zerados. Além do ganho econômico, temos o ganho ambiental, utilizando o material processado na compostagem como adubo nas áreas de recuperação”, afirma.

0
0