MRN reforça ações para prevenção a acidentes de trabalho

Se não for seguro, torne seguro. É com esse lema que a Mineração Rio do Norte (MRN), maior produtora de bauxita do Brasil, localizada no distrito de Porto Trombetas, no município de Oriximiná, no Oeste do Pará, conduz suas operações, tendo a segurança como valor. Esse princípio permeia em todo o seu processo, desde tecnologias e ferramentas de trabalho até iniciativas que refletem, cada vez mais, na saúde e bem-estar de todos os seus colaboradores, que dispõem de plenos poderes para intervir nos processos e atividades, estimulando os colegas a não se expor a riscos. Atitudes como essa são essenciais para reforçar os cuidados no Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, celebrado em 27 de julho.

Mineração Rio do Norte desenvolve vários programas e ferramentas para a segurança dos seus colaboradores_Foto Tarso Sarraf

Uma das iniciativas que tem contribuído para a segurança dos empregados é o Programa Segurança Comportamental. Conduzido com apoio de consultoria especializada, o programa visa aumentar o nível da cultura de segurança por meio da identificação e transformação dos comportamentos de risco em comportamentos seguros, usando para isso a ferramenta de Interação Comportamental. “Esta ferramenta tem colaborado de forma significativa para a gestão de segurança, pois além de estimular a percepção de riscos, permite que a liderança interaja com os empregados levando-os a refletirem sobre os riscos existentes no ambiente de trabalho e adoção de medidas de controle. O aumento da cultura contribui para a melhoria contínua, garantindo a confiabilidade operacional em todos os processos da empresa”, destaca Antônio Moura, gerente de Segurança no Trabalho da MRN.

Aristino Rodrigues Junior, engenheiro de Segurança da MRN, é um exemplo de que a ferramenta de Interação Comportamental funciona e provoca a reflexão do outro para uma mudança de atitude. “Eu estava passando pelo corredor e havia uma placa com a mensagem ‘Atenção: piso molhado’ e vi alguém passando exatamente no local. Chamei a pessoa e perguntei se havia algum risco de se passar por ali. Ela respondeu que sim e continuei indagando: risco de quê? Ela respondeu que havia risco de escorregões, quedas e fraturas. E, para finalizar, perguntei: e o que fazer para evitar? Resposta dela: basta obedecer à sinalização e passar pelo local que está seco. São coisas simples que, se tivermos o cuidado no dia a dia de estar um observando o outro, cuidando do outro, podemos evitar acidentes”, relata.

A MRN também conta com programas e inúmeras ferramentas desenvolvidas para tornar processos e procedimentos mais seguros em suas operações, como: Diálogo Diário de Segurança – DDS, Análise de Risco das Tarefas – ART, Padrões Técnicos de Segurança – PTS, Procedimentos Operacionais de Execução – POE, Inspeção dos Equipamentos e Ferramentas, Cartão PARE, Observação Comportamental e outros que estão atrelados à Prática do Cuidado Ativo.

Neste período de pandemia, a MRN também reforçou a segurança dos empregados, adotando várias medidas para prevenção contra a covid-19, como trabalho home office para as áreas administrativas, distanciamento social nos Diálogos Diários de Segurança, disponibilização de álcool em gel nas dependências da empresa, incluindo áreas operacionais, uso obrigatório das máscaras nas dependências administrativas e em todo o distrito de Porto Trombetas, medição da temperatura corporal, adaptação de restaurantes e dos meios de transporte, entre outras.

“Todas essas iniciativas também exigiram uma abordagem diferenciada junto aos empregados, assim como os meios para transmitir as mensagens, como conversas mais frequentes durante as interações de campo usando da empatia, maior presença da liderança nos locais de trabalho, realização de campanhas e outras ações de segurança, aplicativos para suporte psicológico, live de segurança com consultor, reuniões mensais da Diretoria Executiva com lideranças e atualizações frequentes sobre as medidas de prevenção. Tudo para garantir que nossos empregados estejam bem de saúde”, ressalta Antônio Moura.

0
0