Nova tecnologia e guia preventivo garantem Prêmio Proteção Brasil 2019 à Mineração Paragominas

Operação remota de trator de esteiras ganhou ouro na categoria “Higiene Ocupacional” e o Guia de Prevenção de Acidentes ficou com o bronze na categoria “Ações Preventivas e Corretivas de SST”

No município de Paragominas, no nordeste do Pará, a Hydro encontrou na tecnologia uma alternativa para tornar mais segura e ergonômica a atividade de operação de tratores na mina de bauxita, com a adoção de um sistema que permite controlar os equipamentos remotamente. O sistema para trator de esteiras D11 ganhou, nesta quinta-feira (08), o ouro na categoria “Higiene Ocupacional” do Prêmio Proteção Brasil 2019, durante o 2º Congresso Brasileiro de Saúde e Segurança no Trabalho, em São Paulo. Na categoria “Ações Preventivas e Corretivas de SST”, foi defendido o case sobre o Guia de Prevenção de Acidentes nas Operações de Terraplenagem, que ficou com o bronze.

As premiações reforçam o compromisso da Hydro com a segurança operacional e saúde dos empregados, destacando a empresa no setor mineral. Este ano, foram avaliados 194 cases inscritos e os jurados escolheram os 32 melhores nas diferentes categorias. A região Sudeste concentrou o maior volume de inscritos, com 70,6% das inscrições, ficando na sequência Sul (13,9%), Nordeste (8,3%), Centro-Oeste (4,1%) e Norte (3,1%).

O sistema de Operação Remota em Trator de Esteiras D11 elimina os riscos de saúde ocupacional associados à operação dos equipamentos móveis ao evitar que o empregado esteja exposto a vibrações elevadas geradas pelo trator, durante a atividade de desmonte de minério. “Com o sistema, a operação do equipamento passou a ser feita a partir de um controle externo. O aprendizado com esse prêmio é que temos outras oportunidades na Mineração Paragominas, como resultados importantes na gestão de empresas terceirizadas, nos trabalhos da comissão interna de prevenção de acidentes e de envolvimento das comunidades”, afirma Thiago Nascimento, técnico de segurança e higiene do trabalho da Mineração Paragominas.

Segundo ele, o projeto pode ser considerado pioneiro, pois não havia referências similares no Brasil. O primeiro passo para implantação do sistema foram estudos por soluções que minimizassem a exposição dos operadores no processo de desmonte mecânico de bauxita. “Esse sistema proporcionou uma melhoria ergonômica para os colaboradores, a partir de uma alternativa tecnológica para reduzir totalmente a exposição do operador às condições de vibração excessiva”, explica o técnico. O projeto começou em 2014 e contempla quatro etapas: testes, viabilidade do projeto e orçamento, no mesmo ano; aquisição do sistema, implantação e treinamento da equipe, nos anos de 2015 e 2016.

Guia de Prevenção – Já as melhores práticas de prevenção em grandes obras de terraplenagem de implantação de barragens de disposição de rejeitos, foram reunidas em um manual inovador, que passou a ser referência para o desenvolvimento de atividades internas e capacitação de empregados. Batizado de Guia de Prevenção de Acidentes nas Operações de Terraplenagem, o documento foi elaborado, por três anos e meio e contou com a participação ativa das lideranças, encarregados e os operadores de máquinas da Mineração Paragominas.

 Para a construção do guia, foram criados grupos multidisciplinares que realizaram inspeções de campo, workshops, seminários, revisão de procedimentos operacionais, lições aprendidas sobre acidentes em empresas similares, identificação de boas práticas e incorporação de novas tecnologias. “Com o guia, diminuímos a exposição de pessoas ao risco e melhoramos ainda mais a gestão das operações. Os empregados passaram a receber orientações mais direcionadas às tarefas discutidas, diariamente, nos Diálogos de Segurança e Saúde (DSS) e treinamentos de ambientação de novos contratados. O documento também foi impresso, em formato de guia de bolso, para que tenham à mão para consultas nas paradas e intervalos de serviço”, explicou Ricardo Sarmento, supervisor de HSE de Projetos da Mineração Paragominas

 Ele ressaltou que, no período de três anos e meio, foram movimentados aproximadamente 10 milhões de metros cúbicos de solo, entre corte e aterro, que envolveu atividade intensa de máquinas na empresa. “Esse tipo de movimentação é a segunda causa de acidentes graves, de acordo com estatísticas de grandes empresas. E não tivemos nenhum tombamento em mais de 625 mil operações de basculamento“, exemplificou Ricardo Sarmento. No pico das atividades de implantação dos projetos relatadas no case, a Mineração Paragominas teve 200 equipamentos em operação e a alocação de 713 colaboradores.

 Além de reduzir os riscos de acidentes nas operações de equipamentos, outro desafio da Mineração Paragominas era fazer com que a cultura de segurança e as referências de boas práticas da Hydro também se refletissem nas empresas fornecedoras. O supervisor de HSE de Projetos destaca que o uso do guia passou a ser pré-requisito nas contratações de novos serviços. “E, para facilitar a compreensão de todos, usamos uma linguagem didática, direta e simples, com recursos visuais, como ilustrações”, comentou.

0
0