Pesquisa mostra benefícios da Horta Comunitária em escola

Artigo da pesquisadora Gabrielly Rigo mostra como este projeto, apoiado pela Imerys, contribui para a qualidade da alimentação dos estudantes da Vila Maranhense

Maior conscientização ambiental e o aumento na qualidade da alimentação da merenda escolar de mais de 30 estudantes estão entre os benefícios do projeto Horta Comunitária, desenvolvido pela Escola Aloisio da Costa Chaves em parceria com a Imerys, mineradora que opera a maior planta de beneficiamento de caulim do mundo no Pará, e a Secretaria Municipal de Educação (Semed), na Vila Maranhense, em Ipixuna do Pará. A iniciativa foi objeto de pesquisa e artigo dos pesquisadores Gabrielly Figueredo Pinheiro Rigo e Uirlon Ventura Fernandes, graduandos do curso de Contabilidade da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) do campus Tomé-Açu (PA), que fica próximo de Ipixuna.

A pesquisa foi demandada na disciplina de Filosofia, do curso de Contabilidade da UFRA, com o desafio de mostrar como as boas práticas de educação ambiental podem influenciar na formação de uma consciência mais cidadã na relação com o meio ambiente. Os pesquisadores foram orientados pela professora Ana Paula de Andrade Sardinha, doutoranda em Psicologia pela Universidade Federal do Pará (UFPA).

O estudo foi realizado durante 45 dias entre os meses de janeiro e fevereiro de 2019, envolvendo estudantes do 5º ano da Escola Aloisio da Costa Chaves, que, há 1 ano, participam do Horta Comunitária, plantando de forma orgânica, colhendo e introduzindo as culturas da terra, como cheiro-verde, alface, couve, cebolinha, pimentão, pepino e tomate, na merenda escolar. “A educação ambiental vai muito além das aulas num ambiente escolar. Ela ajuda a transformar pessoas. Além de influenciar no aumento do hábito de consumo de alimentos mais saudáveis entre os estudantes que, hoje ainda são pré-adolescentes, também está contribuindo para a formação educacional destes alunos, que poderão ser futuros empreendedores mais conscientes no relacionamento com a natureza”, relata Gabrielly.

Os dados foram coletados a partir de uma pesquisa qualitativa com os alunos que participam da Horta Comunitária. Entre os resultados de questões abordadas na pesquisa, 92% dos estudantes consideraram-se mais conscientes sobre questões ambientais após participarem da Horta Comunitária; 100% responderam que acham importante aprender a praticar o descarte adequado do lixo desde a infância; e 100% informaram que os conhecimentos sobre meio ambiente e sustentabilidade são repassados na escola.

A diretora da escola, Roseane Pinheiro, também foi entrevistada na pesquisa qualitativa, cujo artigo deve ser publicado em breve. “A professora disse que já observa mudanças nas atitudes dos alunos, no modo de agir, se alimentar e na relação dos estudantes com a escola, que está mais bem cuidada”, comenta a jovem pesquisadora.

Diversidade – A Imerys participa da Horta Comunitária, fornecendo consultoria técnica para o projeto e fornecimento de insumos necessários para a produção dos alimentos. Adriana Corrêa, assistente de Projetos Sociais da Imerys, avalia que o diálogo e a parceria com a comunidade são essenciais para a empresa apoiar iniciativas que contribuem com as principais demandas socioeconômicas e ambientais como ocorreu na Vila Maranhense. “Nas nossas reuniões, os moradores mostraram um grande interesse pela horta, algo que já faz parte da cultura deles e acreditaram nos benefícios que iria trazer. Estamos felizes em ver concretizado esse trabalho, feito a várias mãos. Ao longo do projeto, vamos também dar orientações de educação ambiental para que tenham um maior cuidado com as florestas e rios”, declara.

Premiação – O projeto Horta Comunitária nasceu com o objetivo de incrementar a merenda escolar e gerar renda para a população do município de Ipixuna do Pará, nordeste do estado. A iniciativa é realizada também nas escolas Princesa Isabel, na Vila Palmeiras; e Bom Pastor, na Vila Canaã, com a participação de professores e alunos que cultivam feijão, cheiro-verde, cebolinha, couve e outras hortaliças, que, posteriormente, são incorporadas à alimentação das crianças. Na comunidade Aparecida, também está a primeira maior horta do projeto.

A Horta Comunitária recebeu o Prêmio Socioambiental 2017, promovido pelo Instituto Chico Mendes na categoria Ação Socioambiental Responsável. Esta premiação é signatária ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), sendo considerado um dos maiores reconhecimentos do país quando o assunto é Meio Ambiente e Sustentabilidade. O projeto também obteve a certificação do Selo Verde Chico Mendes, que reconhece causas incentivadoras à defesa ao meio socioambiental.

4
-1