Mineração está presente na história do Brasil

A história do Brasil está ligada à história das atividades de extrativismo desde o descobrimento em 1500. Logo após a chegada dos portugueses, o governo lusitano incentivou várias expedições para buscar ouro e pedras preciosas, principalmente em áreas mais distantes do litoral brasileiro. A mineração foi uma das grandes responsáveis pela ocupação territorial e um dos setores básicos da economia nacional.

As entradas e bandeiras, expedições realizadas no interior do país, percorreram todo o nosso território em busca de metais valiosos (ouro, prata, cobre) e pedras preciosas (diamantes, esmeraldas).

1552

Evidência mais antiga de ocorrência de ferro, noticiada por meio de carta a D. João III, Rei de Portugal, pelo Bispo Afonso Sardinha.

1590

Descoberta a primeira jazida de ouro, próxima ao Pico do Jaraguá, Capitania de São Vicente, nas proximidades da atual cidade de São Paulo.

1595

Organizada a primeira expedição ao interior do Brasil à procura de ouro, a partir de Paraty até a bacia do Rio Sapucaí, em incursão de Martim de Sá.

1603

Primeira referência à legislação mineral no Brasil, de 15 de agosto.

1608

Primeira descoberta de ouro atribuída a Manuel Borba Gato em terras do atual Estado de Minas Gerais, nas margens do Rio das Velhas.

1709 à 1720

No início do século XVIII foram encontrados metais preciosos e pedras valiosas no interior da Capitania de São Paulo em áreas que correspondem atualmente aos estados de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. A descoberta provocou um fluxo populacional vindo de Portugal e de outras áreas povoadas da colônia e interiorizou o desenvolvimento do país.

1780

O Governador de Minas Gerais sugere à Coroa Portuguesa a implantação de uma empresa siderúrgica.

A mineração proporcionou uma série de modificações no Brasil: um novo pólo econômico cresceu no Sudeste, as relações comerciais se desenvolveram e a população começou a viver cada vez mais nas cidades. Esse movimento urbano contribuiu para a diversificação da economia e o surgimento de novos grupos sociais como: comerciantes, artesãos, advogados, médicos, entre outros.

1930 à 1980

O panorama da mineração no Brasil mudou a partir do século XX. Naquela época, por meio de uma política governamental baseada principalmente em subsídios, ou seja, incentivos financeiros diretos do governo ao setor, começa a se profissionalizar. Isso serviu para criar a base de uma economia industrial.

1981

Promulgada a lei 6.938, de 31/08/81, dispondo sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, que aportou profundas modificações nas atividades minerais do país.

Século XXI

Atualmente é incontestável o valor da mineração como base para todas as indústrias e fonte de geração de riqueza para o Brasil. De acordo com a Agência Nacional de Mineração de 2016, é uma das principais atividades econômicas do país. Com 9.415 minas em operação e a ocupação de apenas 0,5% de todo o território nacional, a indústria mineral gera mais de 180 mil empregos diretos e aproximadamente dois milhões indiretos, além de responder por 30% do saldo da balança comercial.