Mineração no mundo digital: você sabia que existe mineração de dados e de bitcoins?

Se você chegou até aqui, já deve saber que a Vale é uma das maiores empresas de mineração do planeta. Estamos no topo da produção mundial de minério de ferro, pelotas e também produzimos níquel, carvão, cobre, ouro, prata, manganês, ferroligas… Normal pensar logo em tudo isso quando falamos de mineração, certo? Nem tanto! O termo é utilizado hoje em outros processos que nada têm a ver com minas e tratores. Dois exemplos que estão em alta são a mineração de dados e a mineração de bitcoins. As duas só existem no mundo digital.

Mineração de Bitcoin

O bitcoin é uma moeda diferente das tradicionais: não é impressa por bancos ou governos. É um arquivo digital online e sua produção é conhecida internacionalmente como “mining”, que significa mineração em inglês. A mineração de bitcoin é, na verdade, a criação do bitcoin, realizada por um complexo processo computacional criptografado. A mineração é feita através de um programa que verifica, na rede, as transações com esta criptomoeada.

As transações com bitcoins ficam registradas em um banco de dados que funciona como um livro de registro digital, os “blockchains” e são realizadas exclusivamente pela internet pela sua rede de adeptos. A criptografia serve para dar segurança às transações.

Em dezembro de 2017 a estimativa era de que existissem cerca de 16,5 milhões de bitcoins em circulação. Utilizada principalmente para investimento e menos para compras de bens e serviços, também em dezembro do ano passado a moeda virtual passou a ser negociada no mercado financeiro tradicional, na Chicago Board Options Exchange. Nessa estreia na bolsa de Chicago, uma unidade da moeda chegou a valer U$ 18 mil.

No caso dos dados, o termo mineração é usado quando se explora grandes quantidades de dados em busca de padrões para, então, detectar um novo conjunto de dados. A base da mineração de dados são princípios estatísticos e a estratégia é utilizada, por exemplo, para descobrir tendências quando se tem um grande volume de informações. Esta mineração faz uso de técnicas de inteligência e é utilizada no mundo corporativo para subsidiar decisões.

A primeira etapa da mineração de dados, em geral, é uma limpeza do banco de dados para remover inconsistências, ruídos e informações que tenham sido preenchidas de forma errada na base. Desta etapa nascem os repositórios, onde se realiza a mineração de dados em si: a análise e observação para encontrar padrões. Em uma empresa que vende produtos pela internet, por exemplo, a mineração de dados pode ser usada para formular recomendações de quais produtos têm a maior probabilidade de serem vendidos junto com os que foram buscados inicialmente pelo consumidor.

1
0